Imagem capa - Quais são os tipos de parto que existem? por Marione Fernandes Fotografias
De conversa com a Marione

Quais são os tipos de parto que existem?

https://facebook.comhttps://www.facebook.com/9mesespormarionefernandes/?modal=admin_todo_tour 

  Não é novidade para nós, mulheres, que existem diversos tipos de partos. A tendência, com as grandes inovações no mundo obstétrico e com o passar dos anos, é esse número aumentar ainda mais. Isso gera inúmeras dúvidas durante a gravidez, como: “quais são os tipos de parto que existem e qual devo escolher?”

  Para ajudar você nessa importante decisão, listamos os tipos de parto que existem. Dessa forma, vocês podem escolher com calma o tipo mais indicado para você e seu bebê. 

 1. Parto Normal - É o parto mais convencional, uma vez que a mulher entra em trabalho de parto espontaneamente. Normalmente, ocorre entre a 37º e a 42º semana de gravidez. De início, é indicado para todas as grávidas. Ele se inicia com as contrações, que começam a ficar cada vez mais frequentes e doloridas. 

 É importante lembrar que podem ser utilizadas anestesias: tanto a peridural (aplicada sobre a lombar) e a raquidiana (na medula). Porém, por ter um efeito mais rápido, a raquidiana é mais recomendada para ser realizada logo antes do nascimento do bebê.

 2. Parto Natural - Muitas dúvidas existem a respeito da diferença entre o parto normal e o natural. O parto natural ocorre com o mínimo de intervenções médicas possíveis, ou seja, de acordo com os comandos do corpo. Somos responsáveis e temos participação ativa no momento do nascimento, além de não haver o uso de anestesias. É possível que aconteça em casa, mas sempre com o acompanhamento de pessoas especializadas, como obstetras. 

 3. Parto Cesariano - O parto cesariano é recomendado em casos em que o parto normal não é possível de acontecer. A OMS (Organização Mundial da Saúde) sugere que 15% dos partos sejam cesáreas, porém, em alguns serviços privados, os números podem chegar até 85%.  

Como é um procedimento cirúrgico, é necessário que tenha um jejum, porém, é possível ficar acordada e presenciar o momento do nascimento do bebê. Em alguns casos, a cesárea pode ser recomendada. Por exemplo, quando o bebê se encontra sentado, se você já realizou outra cesária anteriormente, tem alguma infecção por herpes ou HIV ou quando o cordão umbilical se enrola no pescoço do bebê. 

4. Parto na Água - Esse é um dos tipos de parto que mais tem sido procurado por nós, mulheres, nos últimos tempos. Isso porque é um dos mais confortáveis que existem. A água permite uma melhor irrigação sanguínea, um relaxamento muscular e a dilatação do colo uterino (o que acelera o parto e gera sensação de bem-estar). Para o bebê  é um dos partos menos traumáticos que existem, pois há menos luz e barulho externo para interferir. 

Para realizar esse parto, é necessário optar por uma maternidade que ofereça esse tipo de atendimento. É importante que aconteça sempre sob assistência médica. 

 5. Parto de Cócoras - Nós precisamos adotar a posição de cócoras, ou seja, ficar agachada na hora do nascimento. Normalmente ocorre mais rápido que os outros. Essa posição permite que a musculatura da pelve e do abdômen relaxe, e conta também com a ajuda da gravidade, facilitando a saída do bebê.  

Para que ele ocorra, o bebê precisa estar com a cabeça para baixo, não ser tão grande (até 4 quilos) e nós precisamos estar com 10 centímetros de dilatação. Também é necessário que se tenha passado por uma gestação saudável e um bom condicionamento físico. Nesse caso, a anestesia não é possível de ser aplicada. 

 6. Parto Leboyer - Foi elaborado por um médico francês na década de 70 e também é conhecido como “parto sem violência”. Tem como objetivo não estressar o bebê e tornar seu nascimento menos traumático. Por isso, o parto todo é conduzido pela mãe e o cordão umbilical só é cortado quando para de pulsar. É necessário ocorrer em um ambiente silencioso e com pouca luz.  

7. Parto Humanizado - O parto humanizado não pode ser considerado uma nova técnica, mas sim, um parto em que se tem respeito a nós, mulheres. Podemos escolher onde queremos ter o bebê, quem irá nos acompanhar, qual a melhor posição para o processo, se a luz estará acessa ou apagada, se haverá uso da banheira, etc. Pode ter o uso de anestesia e ainda é possível escolher se quer comer alguma coisa durante o trabalho de parto. Claro, mesmo assim, é necessário que o obstetra esteja presente durante todo o processo. 

 8. Cesárea Humanizada - Como o nome diz, a cesárea ocorre por meio de uma cirurgia. No entanto, na cesárea humanizada, a tentativa é ser similar ao conceito do parto normal. Nós somos mais valorizadas neste processo, com o ambiente da sala de cirurgia mais confortável possível, com acompanhante e até música. O cordão umbilical não é cortado, apenas após parar de pulsar. Além disso, o bebê é colocado junto da mãe logo após o nascimento.  

Independente do tipo de parto, é importante lembrar que sempre é necessário haver acompanhamento de uma equipe médica. Porém, quem vai escolher o parto para o nascimento do seu filho, é você.

 Conta para a gente, qual foi o tipo de parto que você escolheu para o nascimento do seu pequeno, ou vai escolher?

Artigo escrito Por Michelle Rachid | mar 2, 2020